quarta-feira, 16 de agosto de 2017

Deputado diz que estava bêbado ‘tomando cachaça com jambu’ quando fez a tatuagem com o nome de Temer


Revista Veja
A declaração de amor ao presidente Michel Temer (PMDB) na forma de uma tatuagem na pele do deputado Wladimir Costa (SD-PA), conforme se desconfiava, saiu com água e sabão. “Sumiu. Não existe mais”, disse o parlamentar nesta quarta-feira. Ele jurava que era definitiva a homenagem, feita no final de julho, pouco antes da votação da admissibilidade da denúncia que poderia tirar o presidente do cargo. Na ocasião, o deputado disse que havia pago 1.200 reais pela tatuagem – definitiva, segundo ele. Chegou a dizer que tinha doído fazer o desenho: uma bandeira do Brasil e o nome “Temer” embaixo.

Agora, segundo o deputado, ele estava bêbado quando fez a tatuagem. “Ele [tatuador] estava simulando que estava furando e não estava, p…. Ele estava simulando. E eu estava tomando cachaça com jambu, que é a nova moda no Pará, e não estava sentindo nada. Eu estava achando que estava [tatuando] e não estava”, justificou.

0 comentários:

Postar um comentário