terça-feira, 31 de janeiro de 2017

Secretaria Municipal de Saúde do Natal orienta população sobre Febre Amarela e estabelece fluxo de vacinação



A Secretaria Municipal de Saúde do Natal (SMS) por meio do Departamento de Vigilância em Saúde (DVS), orienta a população e vem alertar os profissionais de saúde para que se mantenham sensíveis na identificação precoce de casos suspeitos de FEBRE AMARELA e, considerando o cenário epidemiológico nacional de reemergência da doença.
Além disso, a Secretaria estabeleceu um fluxo de atendimento, estabelecendo unidades de saúde de referência, onde a imunização pode ser feita, de segunda-feira a sexta-feira, das 8h às 16h.
Segundo orientação do Ministério da Saúde, é necessário que seja imunizado com a vacina da Febre Amarela toda pessoa que resida em área com recomendação vacinal para Febre Amarela (ACRV) e pessoas que vão viajar para regiões silvestres, rurais ou de mata dentro dessas áreas.
O Rio Grande do Norte e mais cinco estados do Nordeste (Alagoas, Ceará, Pernambuco, Paraíba e Sergipe) são estados em que não há recomendação para a vacina contra a febre amarela. Amparados na recomendação técnica do Ministério da Saúde e considerando o fato de que não há determinação expressa para vacinação em larga escala de toda população fora das áreas endêmicas da doença, como também o elevado potencial de eventos adversos pós-vacinais atrelados a esta vacina, a Secretaria Municipal de Saúde do Natal somente autorizará a vacinação da Febre Amarela para pessoas que necessitam se deslocar para os estados onde há transmissão sustentada da doença (estados da Região Norte, Centro-Oeste, cidades do interior de São Paulo e Minas Gerais) com 10 (dez) dias de antecedência, mediante comprovação de viagem. A ausência de demonstração de comprovação de viagem, inviabilizará a vacinação.
Cenário Atual
A Febre Amarela Silvestre (FAS) é uma doença endêmica no Brasil, transmitida pelos mosquitos dos gêneros Haemogogus e Sabethes cujo padrão de ocorrência é sazonal, com a maior parte dos casos incidindo entre dezembro e maio, e com casos isolados ou surtos que ocorrem com periodicidade irregular, quando indivíduos suscetíveis entram em contato com locais onde existem os mosquitos transmissores da doença. Os últimos casos de febre amarela urbana (transmitida pelo Aedes aegypti) foram registrados em 1942, no Acre.
Em 2015, foram registrados nove casos de febre amarela silvestre em todo o Brasil, com cinco óbitos. Em 2016, foram confirmados seis casos da doença, nos estados de Goiás (3), São Paulo (2) e Amazonas (1), sendo que cinco deles evoluíram para óbito. Atualmente, o Brasil tem registros apenas de febre amarela silvestre.
Em Minas Gerais, dos 486 casos comunicados até o dia 27 de janeiro de 2017 ao Ministério da Saúde, 97 casos foram confirmados, sendo 40 óbitos. Além desses casos confirmados, outros 58 óbitos suspeitos e 370 casos suspeitos ainda estão sendo investigados. No Espírito Santo, foram notificados 11 casos suspeitos e nenhum confirmado para febre amarela.
Unidades de Vacinação
Diante da grande demanda em busca de imunização contra a febre amarela, a Secretaria Municipal de Saúde 15 unidades de saúde, espalhadas pelos cinco distritos sanitários de Natal. Nos distritos Norte I e II, as unidades de referência serão as seguintes: Vista Verde, África, Gramoré, Vale Dourado, Santarém e Potengi. No Distrito Sul, serão as unidades de Mirassol, Ponta Negra e Unidade Mista de Cidade Satélite. No Leste, as Unidades São João, Lagoa Seca e Mista de Mãe Luiza e no Oeste, Mista de Felipe Camarão, Quintas Básica e Policlínica Oeste.

0 comentários:

Postar um comentário