quarta-feira, 23 de março de 2016

Henrique e Agripino aparecem na lista da Odebrecht como “parceiros históricos”


Nos arquivos divulgados pela força tarefa da Operação Lava jato nesta quarta-feira (23), que fizeram a temperatura no parlamento Brasileiro atingir o máximo, e que citam 200 políticos Brasileiro como beneficiários de repasses por parte da construtora Odebrechet, quatro parlamentares do RN são citados. O ministro do Turismo, Henrique Eduardo Alves (PMDB), tratado pela companhia como “parceiro histórico”, aparece em duas planilhas, ambas com valores totais de R$ 1 milhão. Em uma delas, o valor está atribuído ao “sponsor” (expressão que significa patrocinador do projeto) INFRA; na outra, o valor é compartilhado entre BRK e INFRA.
O senador José Agripino Maia, presidente do DEM, também “histórico”, aparece em uma lista como destinatário de R$ 200 mil, atribuído ao sponsor INFRA; e em outra, compartilhado com o senador Garibaldi Alves Filho (PMDB), no valor de R$ 100 mil, previstos para pagamento em 2012, sem confirmação nem fonte dos recursos.
Jaja
Já o deputado federal Rogério Marinho (PSDB), consta de lista de pagamento de R$ 150 mil em 2012 e previsão de R$ 350 mil para 2014. Os 12 arquivos disponibilizados pelo Blog Fernando Rodrigues, do UOL, incluem anotações diversas manuscritas, textos, e-mail e planilhas e lista de todo o material apreendido.
NOTA DE HENRIQUE ALVES
Sobre a citação do ministro na lista de doações da Odebrecht -(Documentos da Odebrecht listam mais de 200 políticos e valores recebidos), cabe esclarecer que todos os valores recebidos pelo então candidato Henrique Eduardo Alves e ao PMDB-RN foram regulares e constam na prestação de contas apresentadas à Justiça Eleitoral.

Blog do BG

0 comentários:

Postar um comentário