quarta-feira, 17 de fevereiro de 2016

Jornalista rasga puladinha de cerca do ex-presidente FHC


brazil 
Josias de Souza – “Eu tive uma relação de seis anos” com Fernando Henrique Cardoso, disse a repórter Miriam Dutra, rompendo um silêncio de três décadas. “Fiquei grávida, decidi manter a gravidez.” Em entrevista a revista BrazilcomZ, Miriam disse duvidar da veracidade de testes de DNA que refutaram, em 2011, a hipótese de FHC ser pai do seu filho, Tomás Dutra Schmidt, hoje com 23 anos.
“Eu acho que é mentira, porque eu só vi um documento, mas todo mundo pode enganar com um DNA. Ninguém questionou.” Soou conformada: “Ele já provou para a sociedade que não é dele. […] Não vou remover sepulturas para tentar rever isso.” Contestou também a versão segundo a qual FHC reconheceu a paternidade do filho numa visita a Madri, em 2009.
“O Tomás nunca teve pai. O Tomás nunca foi reconhecido. O nome dele é Tomás Dutra Schimidt, é o meu nome. A certidão de nascimento do Tomás está lá, pai ‘em branco’. E nunca isso mudou! Se falarem… provem. Porque eu nunca vi nenhum documento. Essa história de que veio aqui em Madri é tudo mentira!”
Miriam Dutra decidiu levar os lábios ao trombone depois que expirou, em dezembro de 2015, seu derradeiro contrato com a TV Globo. Ela conta que trabalhou para a emissora durante 35 anos, 25 dos quais na Europa, para onde se mudou depois de deixar a sucursal da emissora em Brasília. Viveu em Portugal, Barcelona, Londres e Madri, onde mora desde 2009. Recebia salário, mas não trabalhava. Refere-se a si mesma como “a última exilada.”
O Xerife

0 comentários:

Postar um comentário